Cuiabá (MT), 18 de agosto de 2017 - 23:31

Cuiabá
Carregando...

? ºC

/
705x90
Banner gov mt em acao 468x60  1

Mundo

19/07/2017 12:29

Os 10 países que concentram 75% dos ataques terroristas no mundo

Apenas neste ano, o Reino Unido foi alvo de pelo menos quatro ataques terroristas que, juntos, deixaram mais de 35 mortos e dezenas de feridos, muitos com gravidade.

À primeira vista, a percepção é de que esse tipo de crime vem crescendo na Europa.

A França, por exemplo, acaba de marcar o primeiro aniversário do ataque com um caminhão que deixou 87 mortos na comemoração do Dia da Bastilha, a data nacional mais importante do país, em Nice.

Além disso, em março do ano passado, um atentado com bombas atingiu o aeroporto internacional de Bruxelas, na Bélgica. Já em dezembro, um mercado de Natal em Berlim, na Alemanha, também foi alvo de um ataque.

As estatísticas mais recentes publicadas pela base de dados Global Terrorist Database confirmam, contudo, que ataques deste tipo são relativamente raros, pelo menos na Europa.

De janeiro a dezembro do ano passado, os atentados fatais no Ocidente representaram somente 2,5% de todos os que cumpriram os seguintes requisitos:

• Ter tido motivações políticas, sociais ou religiosas

• Ter sido concebido para gerar o maior potencial de estragos

• Não ter acontecido durante guerras internacionalmente reconhecidas

A conclusão foi de que, no ano passado, das 34.623 pessoas que morreram vítimas de ataques segundo tais critérios, 71% das mortes se concentraram em quatro países: Iraque, Afeganistão, Síria e Somália.

'Top 10'

É provável que poucos se lembrem do atentado no distrito de Karrada, Bagdá, que deixou 382 mortos durante o Ramadã, o mês sagrado para os muçulmanos, no ano passado, o mais letal de 2016.

A cifra é mais do que o dobro do total de mortos dos ataques de Bruxelas, Nice e Berlim somados (134, incluindo os autores).

"Esses ataques (no Ocidente) continuam sendo uma minoria, uma pequena minoria dos ataques que vemos", diz Erin Miller, diretora de programas da Global Terrorism Database.

"Obviamente, acabam recebendo muita atenção porque são atípicos e viram manchetes, enquanto que o Oriente Médio é esquecido", acrescentou ela.

De fato, as estatísticas compiladas por esta iniciativa do Consórcio Nacional para o Estudo do Terrorismo e Reações ao Terrorismo — um "centro de excelência" do Departamento de Segurança Interior do governo dos Estados Unidos localizado na Universidade de Maryland — reforçam que a maior parte desses ataques é realizada longe dos nossos olhos.

De acordo com os dados, 75% de todos os "ataques terroristas" registrados no mundo se concentraram em dez países: Iraque, Afeganistão, Índia, Paquistão, Filipinas, Somália, Turquia, Nigéria, Iêmen e Síria.

E pelo menos segundo uma especialista, esse total pode estar subestimado, pois a Global Terrorism Database exclui sistematicamente os incidentes que não são noticiados pela imprensa.

Organizações extremistas

"Os números variam muito dependendo de onde os dados são obtidos e em qual idioma", diz Mia Bloom, professora de comunicação da Universidade do Estado da Geórgia, nos EUA.

A base de dados é alimentada fundamentalmente por notícias em inglês assim como traduções de meios de comunicação estrangeiros viabilizados pelo Open Source Center — ligado à CIA, a agência de inteligência americana.

Seja como for, o certo é que, em 2016, o Iraque foi de longe o país que mais sofreu com o terror, registrando 35% das mortes por ataques a nível mundial: 33 todos os dias, em média.

E seis dos dez ataques mais letais também ocorreram ali, todos reivindicados pelo grupo autodeclarado Estado Islâmico.

A organização extremista também foi a mais ativa globalmente, com um total de 1.430 ataques.

No Afeganistão, contudo, também opera o Talebã; na Nigéria, o Boko Haram, e na Somália, o Al-Shabaab, entre outros grupos.

Mas nem todos os ataques classificados como terroristas são protagonizados por organizações islâmicas.

Grupos separatistas como o PKK e o Exército de Liberação do Baloquistão foram reposnáveis por ataques em dois países do TOP 10, respectivamente Turquia e Paquistão.

E o terceiro lugar (em número de ataques, não de mortes) ocupado pela Índia é decorrente, em boa parte, dos 126 atentados com bomba realizados no ano passado por grupos maoístas.


Plenário Mato Grosso - Central de Notícias, aqui você é informado com *Credibilidade **Dinamismo ***Seriedade e ****Conceito

Plenário Mato Grosso

Rua João Bento, 592-A
Bairro Quilombo
Cuiabá - Mato Grosso

plenariomtcomercial@gmail.com

imprensaplenariomt@gmail.com

contato@plenariomt.com.br

Busca

Redes Sociais

1435x90
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo