Cuiabá (MT), 19 de outubro de 2017 - 05:32

Cuiabá
Carregando...

? ºC

/
572x90
Banner gov mt em acao 468x60  2

Economia

31/07/2017 10:42 www.youtube.com

Crise fez brasileiro aprender “na marra” a usar o cartão de crédito

Alexandre Garcia, do R7

O período de instabilidade econômica atravessado pelo Brasil entre os anos de 2014 e 2016 forçou o brasileiro a mudar seus hábitos de consumo e entender a forma mais adequada de utilizar as linhas de crédito com juros muito altos, como o cartão de crédito e o cheque especial.

A avaliação é feita pelo consultor econômico da Acrefi (Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento), Nicola Tingas. Ele afirma que a crise resultou em uma “mudança positiva na postura dos consumidores” e fez com que o brasileiro entendesse “na marra” o perigo da tomada de empréstimos e financiamentos.

— Infelizmente, a recessão contribuiu para que o brasileiro começasse a entender que não pode usar cartão, boleto, cartão de compras e se endividar sem critério. É necessário saber escolher o crédito mais adequado.

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, afirma ter observado uma mudança "pontual" e "de curto prazo" no hábito dos consumidores. Ela observa que o controle de orçamento ficou mais rígido, mas avalia que as atitudes não podem ser consideradas suficientes.

— Hoje o consumidor pesquisa mais antes de comprar e realiza o controle do orçamento para conseguir fazer o salário chegar ao final do mês. Existe uma mudança nesse sentido, mas sempre com esses hábitos para resolver o problema naquela hora. A gente não considera isso como um consumidor mais consciente financeiramente porque ele não mudou todos os hábitos financeiros que deveria.

Crédito ruim

Kawauti alerta que o cenário ideal seria sair da crise com mudanças totais e conscientização de que existem linhas de crédito, como o cartão de crédito, o cheque especial e o crédito para negativado que requerem cuidado. No caso do crédito para negativado, a economista afirma que as taxas de juros podem alcançar os 900% ao ano.

Segundo Tingas, os brasileiros estavam misturando o orçamento com a tomada de créditos ruins, que devem ser considerados emergenciais e utilizados por um curto período de tempo.

— Não adianta se endividar até a testa e depois não ter fluxo para pagar. Essa aprendizagem só está acontecendo depois que muita gente está totalmente endividada. Agora, temos que apagar o incêndio da crise.


Plenário Mato Grosso - Central de Notícias, aqui você é informado com *Credibilidade **Dinamismo ***Seriedade e ****Conceito

Plenário Mato Grosso

Rua João Bento, 592-A
Bairro Quilombo
Cuiabá - Mato Grosso

plenariomtcomercial@gmail.com

imprensaplenariomt@gmail.com

contato@plenariomt.com.br

Busca

Redes Sociais

1170x90
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo